Comprar, vender, aluguel Casas e apartamentos em Florianópolis, Grande Florianópolis, São José

18/09/2015 | Ilha ou Continente? Descubra qual é a melhor opção para o seu imóvel

Florianópolis tem muitas opções de imóveis, para todos os gostos, por isso, às vezes, pode ser difícil escolher onde morar. Saber o que se quer é essencial. É importante decidir a faixa de preço, a região e o número de quartos, além de avaliar a sua rotina. Hoje trazemos as características da Ilha de Santa Catarina e da parte Continental de Florianópolis, para ajudar você a encontrar a opção certa. Acompanhe:

Um pedacinho de terra perdido no mar

Ter um imóvel na parte insular de Florianópolis é ter a garantia de valorização imobiliária constante. Com as áreas de preservação permanente e a especulação por novos terrenos, o preço dos imóveis só tende a aumentar, agregando valor ao seu investimento.

A Ilha também concentra a maior parte da produção cultural da cidade, com os teatros do CIC, Pedro Ivo e Álvaro de Carvalho além do Music Park, no norte da Ilha, onde acontecem a maioria dos shows nacionais e internacionais. Esta parte da cidade também conta com três shoppings, serviços completos de saúde e educação e duas universidades públicas, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Serviços essenciais como supermercados, clínicas e bons restaurantes podem ser encontrados até nos bairros mais distantes, o que diminui a necessidade de deslocamento, já que a mobilidade urbana é um dos pontos fracos dessa região.

Beira-mar Norte

A economia dessa parte da cidade gira em torno do funcionalismo público, dos serviços e de empresas de tecnologia que se concentram na Tecnópolis e no Sapiens Park, ambas no caminho do norte da Ilha. Por isso, se você vem de mudança à procura de emprego, talvez a ilha não deva ser a primeira opção no momento, já que os preços de aluguel costumam ser mais caros que no continente.

Entre os privilégios está o acesso fácil às 40 praias que contornam a Ilha, desfrutar de paisagens deslumbrantes como a do Morro da Lagoa e poder evitar o trânsito das pontes, principalmente durante a temporada quando o fluxo de turistas aumenta consideravelmente.Um continente de possibilidades

Os moradores do Continente, nos bairros Coqueiros, Capoeiras e Estreito, além de terem uma vista privilegiada da Ilha, vêm encontrando nos últimos anos várias opções de lazer, gastronomia e serviços sem precisar recorrer às pontes. O Parque de Coqueiros e o Estádio Orlando Scarpelli são dois destaques da região que orgulham moradores e visitantes.

No mercado imobiliário, a região vem crescendo e se destacando com lançamentos de empreendimentos residenciais e comerciais. O continente, zona conurbada com os municípios de São José, ao sul, e Biguaçú, ao Norte, também concentra a área industrial da Grande Florianópolis. Palhoça e São José foram destaque em pesquisas do Ibope, entre as cidades de médio porte com maior crescimento comercial.

Parque de Coqueiros

Para quem trabalha nessa região, morar no continente faz toda a diferença e economizam horas no trânsito, já que o gargalo das pontes (único acesso para a Ilha) no começo da manhã e final da tarde geram grandes congestionamentos em ambos os sentidos.Morar na parte continental também é estar mais próximo das diferentes culturas das cidades da Grande Florianópolis e aproveitar as atrações durante todo o ano, desde o clima da serra de Rancho Queimado até curtir uma das mais belas praias de Santa Catarina em Palhoça.

0