Comprar, vender, aluguel Casas e apartamentos em Florianópolis, Grande Florianópolis, São José

28/10/2014 | Crédito imobiliário atinge R$ 10,3 bi e tem melhor setembro em 20 anos

Foram R$ 83,1 bi para aquisição e construção de imóveis em 9 meses. Em 1 ano, empréstimos com recursos da poupança somaram R$ 112,9 bi.

O volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis com o uso de recursos da poupança somou R$ 10,3 bilhões em setembro, alta de 12% em relação a agosto deste ano e setembro do ano passado. Foi o melhor setembro dos últimos 20 anos, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), além do 5ª melhor mês da série histórica do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

Nos primeiros nove meses do ano foram destinados R$ 83,1 bilhões à aquisição e construção de imóveis, 4,7% superior ao de igual período do ano passado.

Nos últimos 12 meses, até setembro, o volume de empréstimos imobiliários com recursos das cadernetas de poupança do SBPE alcançou R$ 112,9 bilhões, superando em 9,2% o apurado nos 12 meses precedentes.

Foram financiadas, em setembro, aquisições e construções de 50,1 mil imóveis, crescimento de 13,8% em relação a agosto e de 13,3% ante setembro de 2013.

Entre janeiro e setembro, foram financiados 401,1 mil imóveis, aumento de 3,6% em relação a igual período de 2013. Já entre outubro de 2013 e setembro de 2014, foram financiados 543,7 mil imóveis, número que superou em 7% as 508,1 mil unidades contratadas nos 12 meses anteriores.

Poupança
As cadernetas de poupança do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) mantiveram a captação líquida positiva. Em setembro, os depósitos superaram os saques em R$ 1,69 bilhão. Nos primeiros nove meses do ano, os ingressos líquidos somaram R$ 13,8 bilhões, valor que superou o de 2011, quando a meta da taxa Selic média foi ligeiramente superior à atual, de 11% ao ano.

O saldo dos depósitos de poupança nos agentes financeiros do SBPE superou R$ 504 bilhões em setembro, elevação de 14% em comparação com o saldo de setembro de 2013.Fonte: G1

0