Comprar, vender, aluguel Casas e apartamentos em Florianópolis, Grande Florianópolis, São José

  • +55 (48) 3330 1600 / +55 (48) 9172 9993

09/11/2010 | Comissão do Corretor independe de fechar negócio

O tema é polêmico, vamos a explicação; o CRECI tem uma opinião sobre o assunto, e essa opinião se resume no seguinte, quando o comprador procura uma imobiliária ou corretor de imóveis credenciado afim de comprar um imóvel, ele procura pois não tem acesso a informação privilegiada e nem conhecimento do imóvel que esta disponível para venda. Neste ato o cliente utilizou a assessoria especializada do corretor de imóveis para localizar o imóvel, o proprietário e fazer a oferta.
comissao do corretor Compradores que Enganam os Corretores de ImóveisAlguns compradores sem escrúpulos, após se utilizarem de toda a informação privilegiada e assessoria técnica documental dos corretores, dizem não se interessar por aquele imóvel,  alguns dias depois voltam para fechar negócio diretamente com o proprietário, descartando todo o serviço já prestado, nesse caso o corretor de imóveis tem direito a comissão, pois o comprador se utilizou do serviço do mesmo para ter acesso a dita informação.Acompanhe abaixo o parecer da diretoria do CRECI - Conselho Regional dos Corretores de Imóveis.
"Honorários do corretor independem da conclusão do negócio"
Esse é o entendimento do CRECI, que vai ao encontro de várias decisões judiciais dando ganho de causa aos corretores de imóveis.  A partir do momento em que o profissional aproxima as partes, efetivamente, já está exercendo seu papel na transação, sendo-lhe devida, portanto, a comissão referente. "Os corretores, assim como quaisquer outros trabalhadores, desempenham suas funções com responsabilidade, tendo, portanto, direito à remuneração.Não podemos aceitar que, após a sua decisiva assessoria, esses profissionais sejam aviltados em sua rotina de trabalho, por vendedores ou compradores que lançam mão das informações que lhes foram passadas para fechar o negócio direto." Já houve julgamento favorável à categoria por parte da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça. Na mencionada ação, o corretor alegava ter direito a 10% do valor da compra do imóvel a título de comissão por intermediação de sua venda. Em primeira instância, os juízes reduziram a comissão a 1% do total do negócio e, após apelação, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul aumentou o percentual para 6%, considerando que, mesmo tendo havido demora no fechamento da transação, esta não fora de responsabilidade do intermediador, que participara efetivamente da negociação."Quando nos deparamos com entendimentos como esse por parte da Justiça, ficamos bastante satisfeitos, pois eles são o devido reconhecimento à categoria por sua importante atuação no mercado imobiliário”, ressaltou o presidente do CRECI.
0