Comprar, vender, aluguel Casas e apartamentos em Florianópolis, Grande Florianópolis, São José

16/01/2012 | Preço de imóvel deve estabilizar a partir deste ano

A disparada dos preços dos imóveis verificada no Brasil nos últimos anos está chegando ao fim. Empresas e analistas do setor ouvidos pelo BRASIL ECONÔMICO, estimam que o auge das valorizações está perto do fim e que o ramo imobiliário residencial deverá enfrentar uma estabilidade de preços a partir de 2012.Até o ano passado, a valorização das unidades seguiu em ritmo quatro vezes maior que a variação do Índice Nacional da Construção Civil (INCC), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), e que acompanha a variação de custos do setor. Enquanto o indicador avaliado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) mostrou encarecimento de 26,3% dos imóveis comercializadas em 2011, o INCC foi de 7,6%.Esse descolamento, que existe desde 2007, deve acabar a partir deste ano. Isso não quer dizer que os imóveis vão se desvalorizar. Eles apenas terão preços mais em linha com a inflação para o setor.Espera-se que os preços dos imóveis residenciais estagnem. Ao menos até 2013, a diretora afirma não haver espaço para redução dos valores. "Alguns ajustes podem acontecer neste ano. Ainda há uma forte demanda, fundamentada no déficit habitacional e crescimento da renda. Os financiamentos facilitados pelo governo federal também dão base para a sustentação dos imóveis", explica.
Celso Petrucci, economista chefe do Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo (Secovi), concorda com a avaliação. “Não descartamos a possibilidade de que os preços possam subir. Em algumas praças, (os imóveis) podem valorizar, em outras desvalorizar. Mas, definitivamente, não aumentará como antes”, diz o economista.
Em linha com o sindicato, empresas do setor acreditam que o mercado de imóveis residenciais mostrará maior desaceleração em 2012. Não concordo com estagnação, mas não deve haver a alavancagem de preços que vimos nos últimos anos.A demanda está mudando, aumentando o critério sobre a aquisição de imóveis. “Percebemos que os clientes estão exigentes em relação à marca, qualidade e visibilidade do produto”.Central Estratégica
Imóveis comerciais
Também aquecido nos últimos anos, o mercado de imóveis comerciais pode passar pelo mesmo processo de acomodação de preços, ao qual parece fadado os residenciais. No entanto, as análises divergem.
É preciso diferenciar o valor do aluguel e do imóvel para projetar um possível teto no preço.Quando refere-se aos valores de negociação de imóveis comerciais o cenário muda. Como esse valor é composto por custos de construção e embute também a expectativa de retorno financeiro para compradores que adquirem unidades como investimento, ainda há espaço para que os valores subam. Com a queda da taxa de juros reais, muitos investidores migram parte dos recursos para imóveis, o que eleva os preços.
Esses compradores, entre os quais estão pessoas físicas, famílias de alta renda e fundos especializados, não costumam se desfazer dos imóveis com rapidez ou facilidade, descartando que uma queda repentina de valores pode ser motivada por esse movimento.
Fonte: CBIC
0