Comprar, vender, aluguel Casas e apartamentos em Florianópolis, Grande Florianópolis, São José

  • +55 (48) 3330 1600 / +55 (48) 9172 9993

11/11/2011 | FGTS - Sobe o limite de renda para a compra da casa própria

Mais famílias poderão solicitar empréstimos para o financiamento de moradias populares com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. O Conselho Curador do FGTS elevou o limite de renda mensal de R$ 3.900 para R$ 4.300, válido para municípios com menos de 250 mil habitantes. Para cidades com população maior, como o Rio, o teto passou de R$ 4.900 para R$ 5.400. A nova regra foi publicada no Diário Oficial da União. Segundo a Resolução 669 do Conselho Curador do FGTS, o aumento do rendimento mensal das famílias brasileiras, sobretudo nas menores faixas, motivou a ampliação do teto. “A alteração era necessária para alcançar mais municípios do país e incluir mais famílias brasileiras, principalmente aquelas que moram em cidades com população menor do que 250 mil habitantes. Foi um ajuste de renda, não há novas mudanças previstas”, afirmou o secretário executivo do FGTS, Paulo Furtado. Nas operações de empréstimos e financiamentos com utilização de recursos do FGTS, a taxa de juros aplicada é de até 6% ao ano. A taxa nominal (diferença entre o valor final com juros e o total emprestado) pode ficar em 5% em alguns casos, como nas transações de venda de imóveis novos para pessoas físicas com renda familiar bruta de R$ 2.790,01 a R$ 3.100 por mês. Três anos – Famílias com rendimentos de até R$ 5.400 por mês poderão usar o FGTS como entrada no financiamento da casa própria, se o titular estiver cadastrado no Fundo de Garantia há pelo menos três anos, consecutivos ou não, com depósito de uma ou mais empresas. O mutuário também pode abater prestações do financiamento de sua moradia com os recursos do fundo. O valor debitado do FGTS, neste caso, pode ser de até 80% do total da parcela. Mas, se o imóvel negociado tiver sido financiado via FGTS nos últimos três anos, o fundo não poderá ser utilizado novamente pelo mutuário. Fonte: Revista Zap Imóveis
0